sexta-feira, 11 de agosto de 2017

A Solução Facinha para o Rio: Criação da "Praia do Fio Dental", em Copacabana - 1ª parte


"Praia do Fio Dental" vai passar a ser o nome do trecho da praia de Copacabana em frente da extinta discoteca Help, no Posto 5, próximo a Djalma Ulrich. Esta é uma das propostas de minha Solução Facinha para ajudar o Rio de Janeiro a sair da crise.

Como o nome indica, esse pedaço da praia passará a ter uma elevadíssima presença de garotas usando biquini fio dental. E não estou falando de um biquini pequeno, mas sim de um biquini fio dental só com uma tirinha, como o que estou usando nestas fotos, para ficar bem nuazinha.



O biquini fio dental tem tudo a ver com Copacabana. Além disto, Copacabana sempre teve a tradição de ter uma ótima vida putaria noturna. Pena que tenha caído, mas é claro que dá para recuperar a nossa Princesinha do Mar e da Sacanagem.

A Praia do Fio Dental vai dar uma turbinada no turismo em Copacabana.


E como vamos atrair garotas com biquini fio dental total para aquele trecho da praia ?

Simples: Basta que as barracas, quiosques e tendinhas naquele trecho da praia passem a oferecer grátis uma caipirinha para toda garota que estiver usando fio dental. Elas terão que provar que possuem mais de dezoito anos, é claro.



O custo para produzir uma caipirinha é de menos de dois reais. Se a barraca servir 25 caipirinhas, estamos falando de um custo de apenas cinquenta reais, mas vamos ter 25 mulheres usando um fio dental como este da foto  em volta da barraca. Isto vai atrair um monte de gringos, que vão querer beber.... e o retorno vai ser imenso !

Sei fazer negócios !




Como são muitas barraquinhas, tendas e quiosques, vai ter para mais de duzentas garotas usando um fio dental que nem o meu. Em pouco tempo, a praia vai se tornar uma atração turística internacional. Os gringos vão fretar aviões para conhecer a Praia do Fio Dental, em Copacabana.

Mas é claro que isto só vai dar certo se a violência no Rio diminuir. Atualmente os índices de criminalidade do Rio de Janeiro são mais do que o triplo de cidades civilizadas. Desse jeito, é melhor nem pensar em trazer turistas para cá. Já mostrei algumas ideias nas postagens anteriores para reduzir a violência na cidade.




Então a ideia é criar um ponto focal onde as garotas possam mostrar suas bundinhas para os rapazes  apreciá-las. Vai ter cada vez mais garotas querendo se exibir e homens curtindo. A praia vai ficar lotada de gringos. Os hotéis e restaurantes também.

Continuo na próxima postagem.






sábado, 29 de julho de 2017

A Solução Facinha para o Rio de Janeiro: a sequencia


A minha Solução Facinha para o Rio de Janeiro procura trazer mais dinheiro para o Rio através do turismo, especialmente do turismo associado a sacanagem boa, o que é minha especialidade.

O que acontece atualmente é que os turistas foram afugentados pela guerra civil no Rio de Janeiro. Os hotéis, restaurantes e pontos turísticos estão vazios. Agora que o Exército está nas ruas, a guerra, vai ficar mais equilibrada, mas vai continuar.



Então o primeiro passo é dar o mínimo de segurança para os turistas, criando uma Área de Segurança para o Turismo.
 
Este primeiro passo nunca vai ser dado por nossas "autoridades"?  Quem pode confiar que Temer, o Canalha, faça alguma coisa ? E o Peão, cúmplice e sucessor de Cabral ? E o Crivella, bispo da Universal ? O Exército daqui a pouco vai embora e tudo volta a ser como antes, ou pior. Já vimos este filme várias vezes.




A verdade é que um terço da população do Rio é cúmplice silenciosa dos bandidos. Estou me referindo às pessoas que compram produtos roubados no camelô, que compram drogas, que sabem onde estão bandidos e não os denunciam e que não apoiam a PM.

Então sobra para o restante da população do Rio, que felizmente é a maioria, tentar resolver esta situação de violência no Rio. Aliás, é bem feito para nós ter que enfrentar este problema, uma vez que fomos nós mesmos que o causamos, ao elegermos cretinos como Dilma&Temer e Cabral&Pezão. Vamos ter que bancar o prejuízo. Da próxima vez, vamos prestar mais atenção em quem estamos votando.



E o que nós, pessoas comuns, podemos fazer para trazer mais segurança para o Rio ?Já pensei em:
1) Apoiar a polícia, inclusive com doações, o que já está sendo feito por associações comerciais;
2) Denunciar bandidos (usar o aplicativo do Sinesp Cidadão e o Disque Denucia, por exemplo); 
3) Instalar câmaras, refletores e alarmes;
4) Colocar placas em áreas de risco, avisando a todos; 
5) Contratar seguranças particulares (como o Centro Presente);
6) Pressionar as autoridades para que atuem;
7) Pressionar Instituições;
8) Pressionar jornais e revistas;
9) Registrar qualquer qualque crime do qual tenhamos sido vítimas.
10) Sugerir a criação imediata de Áreas de Segurança para o Turismo


Assim que a criminalidade no Rio de Janeiro estiver "normal", pelo menos nas áreas turísticas, isto é, assim que ela cair para cerca de um terço da criminalidade que acontece hoje, aí vai dar para começar o segundo passo da Solução Facinha para o Rio de Janeiro, mas isto fica para a próxima postagem.


sexta-feira, 21 de julho de 2017

A Solução Facinha para o Rio de Janeiro: Segurança para Turistas


O Rio de Janeiro está destruído e a minha Solução Facinha poderia ajudar a melhorar um pouco as coisas recuperando o turismo. Mas para isto acontecer, temos que oferecer segurança aos turistas.

Seria melhor, é claro, oferecer segurança para todo mundo, afinal quem mora no Rio só não foge daqui porque não pode por algum motivo, está ruim para todo mundo, não só para turistas. O problema é que o Estado do Rio de Janeiro está quebrado, roubaram demais anos a fio e agora não há recursos para nada. E aí?



A solução é a gente pagar para oferecer mais segurança aos turistas. Isto vai dar um retorno imenso logo logo. Quem deveria fazer isto era o Estado, mas como nós, o povo do Rio de Janeiro, votamos em Cabral (duas vezes), Rosinha, Garotinho e Crivella... merecemos pagar pela nossa estupidez e sofrer as consequências, paciência, agora temos que pagar.

Aliás, a gente tem que aprender a aceitar as consequências de nossas decisões.  Por exemplo, quando eu me inclino desta maneira em uma mesa, na frente de um cliente ou amigo, já sei qual será a consequência: ele vai comer minha bunda.


Outro exemplo: quando uso o bikini fio dental destas fotos na Praia da Reserva, sei que vou ficar cercada de taradinhos se masturbando e tenho que aceitar isto.

Mais um exemplo: quando estou dançando nuazinha com meu marido em uma boate de swing, cercada de solteiros com o pau de fora, e meu marido abre minha bunda para me exibir para a galera, ele também sabe a consequência: sua esposinha vai ser enrabada por um monte de homens.

 

Então, como já escrevi na postagem anterior, temos que pagar. Por exemplo, pagar seguranças, como o Centro Presente, Lapa Presente, etc. Também podemos pressionar para valer as nossas "autoridades" contra a desordem urbana sob a forma de camelôs, pedintes, pivetes, etc. Não podemos aceitar isto.

Uma outra forma de ajudar a combater o crime é através do aplicativo sinesp cidadão que você pode instalar em seu celular e que informa se determinada placa é de veículo roubado ou se a placa corresponde realmente a aquele tipo e cor de veículo - caso contrário, a placa é falsa e o veículo é roubado. Aí você avisa a PM, não vá abordar ninguém. Aliás, é importante denunciar tudo que você achar esquisito.


Em resumo: temos que aceitar que há uma guerra civil acontecendo no Rio de Janeiro. Os bandidos  contam com o apoio de um terço da população do Rio, a qual compra produtos roubados, não delata os bandidos e hostiliza a polícia.

E temos que aceitar também que a segurança é um problema da gente mesmo, dos dois terços da população do Rio que não está do lado dos bandidos. Afinal, não há mais governo federal, nem estadual e nem municipal atuando no Rio de Janeiro. E temos que proteger primeiro os turistas, para que eles não parem de trazer dinheiro para o Rio e assim a gente consiga se recuperar um pouco.







sábado, 15 de julho de 2017

A Solução Facinha para o Rio de Janeiro.


Nesta postagem e nas próximas três vou apresentar a Solução Facinha para ajudar a vencer a crise que derruba a minha cidade, o Rio de Janeiro. Em postagem anteriores, examinei a principal causa dessa crise, que é a grande capacidade do brasileiro e do carioca em especial de eleger criminosos, corruptos e incompetentes. Somos muito bons nisto e vamos continuar sendo,  infelizmente.

E como este assunto é muito sério, preferi não ficar nua nestas fotos, para não parecer falta de decoro. Então estou com o meu fio dental de silicone, que costumo usar quando estou na Praia da Reserva, aqui no Rio. Muita gente já me viu assim, então não tem nada demais.



A minha Solução Facinha para o Rio de Janeiro é, como o nome indica, para o Rio de Janeiro e não para o resto do Brasil e muito menos para outros lugares complicados do mundo. Então, meus caros admiradores da Coreia do Norte, sinto muito, não sei o que propor para ajudar vocês.

A minha Solução Facinha para o Rio de Janeiro é, como o nome também indica, facinha de ser implementada. Ou seja, não depende de uma mudança radical de comportamento do povo do Rio de Janeiro, que certamente vai continuar elegendo marginais como a filha do Garotinho, ou do Cabral, assim que tiver uma chance, isto se não elegerem de novo os próprios. A gente não aprende com os erros, não tem jeito.


Para a Solução Facinha ser facinha, ela não pode depender de recursos doados pelo Governo Federal,  e nem pode depender que o Pezão, legítimo sucessor corrupto do Cabral, e o Crivella, castigo divino para o Rio, sejam bons gestores.

A Solução Facinha para o Rio de Janeiro se baseia apenas no que a gente já tem: uma cidade muito, muito linda, com mulheres maravilhosas e generosas,e eu me incluo entre elas, modéstia a parte. 



A Solução Facinha para o Rio de Janeiro acontece com uma grande entrada (adoro esta expressão) de dinheiro dos gringos, de turistas de toda a parte do mundo.

A princípio isto pode parecer impossível, afinal os estrangeiros já sabem que o Rio é uma cidade muito violenta, onde eles provavelmente serão assaltados ou coisa pior. No passado, ainda apareciam alguns turistas desavisados por aqui. Agora isto não acontece mais e os hotéis estão vazios, os hostels fechando. O Rio é uma cidade perigosa, suja e poluída.


Então a primeira parte da Solução Facinha para o Rio de Janeiro é cuidar da segurança. Mas como é que isto vai ser feito ? Afinal se o Estado está falido, metade da frota da PM está enguiçada, sem verba para o conserto, etc, etc...

A solução é simples: vamos primeiro cuidar com toda a atenção da segurança das áreas frequentadas pelos turistas, afinal,  não são tantas assim: Ipanema, Copacabana, Pão de Açúcar, Corcovado, etc. Vamos criar um perímetro de segurança turístico. Depois a gente cuida do resto, mas primeiro vamos garantir que nenhum turista será assaltado, se ele ficar dentro deste perímetro.


Então seria uma espécie de "Copacabana/Ipanema/Etc Presente" - o que aliás, já está para acontecer, como já fizeram no Centro e na Lagoa. Mas acho que ficaria ainda melhor se os próprios moradores do bairro fossem incentivados a "soprar o apito", isto é a denunciar sempre que virem pessoas suspeitas. Sei que no início seria um "apitaço" sem fim, mas logo logo a marginália ia procurar um local mais tranquilo para "trabalhar".

Outro fator para a melhoria da segurança seria um Grande Choque de Ordem. Claro que um molenga  como o Crivella não vai ter coragem de fazer isto, mas os próprios moradores poderiam denunciar sem trégua e encher o saco de vagabundos, camelôs, mendigos, pivetes, etc, etc que infestam o bairro. Nada contra eles: podem ir para outras partes da cidade em que não comprometam o turismo. Muitas pessoas trabalhadoras (como minhas amigas garotas de programa) dependem do turismo e não é justo que eles prejudiquem o já minguado ganha-pão delas.





sexta-feira, 7 de julho de 2017

A Ética de Thays Facinha


Tem dois tipos de sacanagem: a boa, que é o que eu e muitas amigas fazemos, e a má, que é o que o trio Temer, Pezão e Crivella, faz porr aí.

Este blog foi feito para promover a boa sacanagem, mas também pode servir para denunciar a má sacanagem. As pessoas devem praticar a boa sacanagem em toda oportunidade que tiverem e também denunciar a má sacanagem em toda oportunidade que tiverem. Esta é a Ética de Thays Facinha.



Em uma postagem anterior, eu afirmei que Temer é um canalha. Alguém então comentou que Temer sequer tinha grandeza para ser um canalha, conforme uma tal de Cora Ronai tinha escrito no Globo.

Eu também concordo com a Cora e vi que ela ainda escreveu uma coisa que achei muito legal:
Temer usa o seu tempo, custeado com os nossos impostos, para cuidar da sua permanência num cargo em que ninguém o quer mais. Ministros têm as agendas suspensas, e tudo para na capital de um país com 207,8 milhões de habitantes, só porque um bandido precisa provar para outros bandidos que não é tão bandido assim. É isto aí !



Na última postagem, eu também lembrei que o Rio de Janeiro está fudido, no mau sentido, e que a culpa disto é do próprio povo do Rio de Janeiro, que foi o responsável pela eleição do Cabral. Outros leitores lembraram que Cabral (em dois mandatos!) não foi o único bandido, mas também a Rosinha, o Garotinho, o Brizolla, o Marcelo Alencar e last but not least, o Pezão, legítimo herdeiro e comparsa do Cabral.

Então me lembrei que ainda não havia falado sobre o Crivella, o prefeito do Rio, eleito pela comunidade evangélica, que com isto vem ajudando bastante o Senhor a punir o Rio de Janeiro pelos nossos pecados.




Crivella pegou uma cidade com uma situação econômica ruinzinha e muitos problemas. O Rio porém tem um potencial turístico fantástico e um bom prefeito poderia fazer isto render muito para os moradores da cidade.

Infelizmente, não é o caso, pois Crivella é medíocre. Está preocupado em viajar para a Europa às nossas custas e em conseguir uma boquinha na prefeitura para seu filho - o que ainda não conseguiu, mas segue tentando.



Além disto, Crivella também está ajudando o Senhor a castigar o povo da cidade. A ordem pública na cidade acabou. Camelôs vendendo produtos roubados infestam as ruas da cidade e aumentam a sensação de insegurança. A limpeza e a iluminação das ruas e praças estão péssimas. Muitos buracos em toda a parte.

Mas o Crivella é especial, pois está detonando o que nenhum prefeito do Rio de Janeiro já pensou em abandonar: o carnaval carioca. Além dele ter vergonhosamente se escondido no carnaval passado, agora vai reduzir o investimento para a cidade ter um carnaval bonito - não só em Escolas de Sambas, mas no carnaval de rua também.


Isto já chegou ao conhecimento dos turistas e já há sinais preocupantes de queda no movimento das reservas para o carnaval nos hotéis do Rio.

É possível que São Paulo, que já tirou o mercado financeiro do Rio, também tire o nosso carnaval. Nós merecemos isto, por termos eleito Crivella. Quem gostar de carnaval, que vá para São Paulo.




Aliás, Crivella não leva a sério o turismo no Rio de Janeiro. Assim que ele foi eleito, extinguiu a Secretaria de Turismo.

Sei que muitos de meus leitores são pastores evangélicos e certamente eles não vão gostar dessas críticas. Da mesma forma, tenho leitores que votaram na dupla Dilma & Temer e que se sentem ofendidos toda vez que eu critico Dilma e/ou Temer. Sinto muito, apesar de ser especialista em levar pau e não em mandar pau, eu precisava escrever estas coisas.



Então escrevi esta postagem e as duas anteriores criticando os políticos e, principalmente, nós mesmos, por termos eleito esses bandidos. Mas nas próximas postagens, vou ser mais positiva: vou apresentar algumas ideias que podem incentivar o turismo aqui no Rio, aproveitando nossos talentos e belezas.
 
Aguardem !







terça-feira, 27 de junho de 2017

O povo do Rio de Janeiro merece o desastre.


O Estado do Rio de Janeiro está falido e mal pago. A segurança, educação e saúde estão em colapso. O Rio acabou.

Mas a coisa vai ficar ainda pior. Daqui a três anos, vamos lembrar com saudade de 2017 e dizer: bons tempos aqueles!



A maioria das pessoas diz que a culpa por este buraco medonho é do bandido notório Sergio Cabral junto com a perua babaca de sua mulher, Adriana Ancelmo, seus comparsas do Tribunal de Contas, do Ministério Publico (que deveriam fiscalizar, mas não fiscalizam) e da Assembleia Legislativa liderada pelo porco e cafajeste do Picciani.

Mas não é bem assim. Acho que a culpa pelo desastre que se abateu sobre o Rio de Janeiro é do próprio povo do Rio. Somos os culpados e merecemos este sofrimento de ver o lugar em que moramos e gostamos se tornar um horror. Vou explicar por que.




Costumamos colocar a culpa em políticos, mas na verdade a culpa é nossa mesmo. Os políticos são eleitos por nós. Somos nós que os fazemos.

A gente é que concedeu para o Sergio Cabral o poder de trocar um futuro melhor para crianças pobres por mais um anel de diamantes para sua esposa escrotinha. Nós mesmos e mais ninguém.

 


Se o Sergio Cabral não tivesse sido eleito, o pior que ele poderia fazer seria sacanear um ou outro que fizesse negócio com ele.

Nós, o povo do Rio de Janeiro, é que fomos  os responsáveis por ter colocado este marginal (e vários outros) no comando do Estado. E agora temos que pagar por isto. É justo.



E se você por acaso não votou no Cabral, sinto muito, mas merece o desastre igualzinho a quem votou. Afinal, a regra da democracia, que é justa, é que o mais votado é o eleito.

Da próxima vez, ou você faz alguma coisa para impedir que pilantras sejam eleitos ou você se muda do estado (ou do país) ou você se conforma e aceita sua sina.



Então, se você já foi assaltado por um ladrão armado, não reclame: você mereceu este castigo. (Se ainda não foi, é só esperar mais um pouquinho: você ainda vai ser assaltado.) Se você é funcionário público do Rio de Janeiro e está com salários atrasados, não reclame: você mereceu este castigo.

Acho que quando todo mundo entender que votar sem prestar atenção é o pior que a gente pode fazer para si mesmo.



Nossos atos tem consequências. Quando eu arrebito minha bunda desta maneira, eu sei quais serão as consequências. Quando a gente vota errado, também há consequências, que são até bem parecidas, metaforicamente falando.

A diferença é que no meu caso, eu gosto.


segunda-feira, 19 de junho de 2017

Temer é um canalha.


Escolhi a palavra canalha porque acho que combina muito bem com a cara dele. Mas as palavras corrupto, ladrão, desonesto, bandido e cretino também seriam adequadas.

Faço este blog para mostrar meus talentos e o principal, sem dúvida, é a minha bunda. Mas eu não sou só um corpinho bonito e também não sou juíza do TSE: Eu vejo, leio, escuto e penso. E é por isto que digo: Michel Temer é um canalha. Sou uma piranha, não uma pamonha.

 

É possível que o prezado leitor esteja estranhando este tipo de declaração no blog, mas esta nem é a primeira vez: já critiquei muito o PT, tanto que alguém escreveu em um comentário que eu era coxinha.

Eu respondo: não sou coxinha, ao contrário, sou coxão. E bundão também. O PT é um desastre, o Aécio também e o Temer também.





É possível que o prezado leitor esteja pensando: "Que moral tem a Thays, que é puta e piranha, para falar mal do presidente do Brasil ?"

Eu respondo: de fato sou puta e piranha, mas acontece que sou honesta. Nunca passei um cliente para trás. Ao contrário, são eles que passam atrás de mim. Então tenho moral, sim, para declarar que Temer é um canalha. Por que ele é de fato um canalha, o país inteiro sabe disto, exceto os índios que não falam português.





É possível que o prezado leitor esteja até se preocupando comigo: "Thays vai acabar sendo processada por escrever estas coisas..."

Eu respondo: isto não vai acontecer. Posso escrever que Temer é um canalha quantas vezes quiser. Por que ele é mesmo um canalha. Simples assim. Este é um dos poucos pontos que o Brasil inteiro está de acordo. E o mundo também. O fato do Temer ser um canalha é uma unanimidade universal. Se eu for processada por isto, posso pedir asilo político no Quirguizistão, pois lá todos também sabem que Temer é um canalha e vão me dar razão.




É possível que o prezado leitor então queira me perguntar: "Se todo mundo já sabe que Temer é um canalha, por que perder tempo escrevendo sobre isto?"

Eu respondo: porque, além de mostrar meu corpinho, quero pedir para que alguém me explique como é que nós brasileiros aceitamos ter um presidente ampla, geral e irrestritamente reconhecido como canalha ?

 
 
Até mesmo a pamonha da Dilma tinha uns otários que acreditavam nela. O Lula até hoje tem seus otários. Tudo bem, que seriam dos vagabundos se não fossem os otários ?  (As vagabundas, a propósito, não precisamos de otários, precisamos só de homens.) Mas e o Temer ? Ele nem sequer tem um punhado de otários que acreditem nele. Como pode ser ?!
 
Como é que nós brasileiros aceitamos ter um presidente que pode ser justamente criticado até por uma putinha como eu ?  Eu não tenho vergonha de ficar nua e dar a bundinha, mas tenho vergonha de que o presidente de meu país seja um canalha como o Temer.